‘Existe muito preconceito com a maconha e as pessoas esquecem que álcool é muito pior’, dispara presidente da Liga Canábica

Publicado por:

Publicado em :

O presidente da Liga Canábica da Paraíba, Júlio Américo, disse na noite desta sexta-feira, 19, que desde 2014 começou a se mobilizar para ter acesso a medicamentos a base de canabidiol para seu filho que sofre de epilepsia refratária, que não respondia mais ao tratamento medicamentoso.

Em entrevista ao Master News, ele explicou que desde que tomou conhecimento do óleo da Cannabis, formou um grupo para buscar autorização para ter acesso ao remédio, que traz qualidade de vida a crianças que “estavam morrendo por falta de um tratamento que desse retorno”, afirmou.

Ele destacou que o grupo começou comprando ilegalmente medicação, mas hoje uma associação paraibana conseguiu autorização para plantar cannabis sativa para usar medicinalmente.

Atualmente, apenas a Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança tem autorização de plantar e conta com apoio de estudantes de medicina, como Bruno Silva, que pesquisa sobre as funções medicinais da planta.

Para Júlio, os caminhos estão sendo abertos para futuras parcerias, “inclusive, estamos esperando reunião com o governador Ricardo Coutinho, na expectativa de que haja, futuramente, um programa estadual que ajude no desenvolvimento de medicamentos e no acesso ao tratamento”, disse.

Os entrevistados detalharam a luta jurídica durante tantos anos para conseguir autorização para produzir o óleo, que pode salvar a vida de tantas pessoas, “hoje a questão da cannabis é muito mais a questão de saúde pública, que de crime”, finalizou Júlio.

Leia Também:   Anvisa pretende liberar o plantio de maconha no Brasil até 2017

Créditos: Polêmica Paraíba


Compartilhe esta notícia com os seus amigos


Comentários

Comentários