Professor dá aula vestido de drag queen na PB para provocar reflexão sobre homofobia

Publicado por:

Publicado em :

Professor valorizou a diversidade ao ir dar aula como drag queen (Foto: Friday Manson/Arquivo Pessoal)

Professor valorizou a diversidade ao ir dar aula como drag queen (Foto: Friday Manson/Arquivo Pessoal)

Um professor de química decidiu promover uma intervenção em uma escola pública de João Pessoa para refletir com os alunos sobre a importância do combate à homofobia. Nesta quarta-feira (17), dia em que é celebrado o Dia Internacional de Combate à Homofobia, Luis Lima, que é artisticamente conhecido como Friday Manson, foi dar aula montado de drag queen.

“Desde que comecei a ensinar, há 7 anos, eu sou o professor que eu queria ter tido, principalmente como LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros]. Enquanto estudante, eu achava que eu não podia ocupar alguns espaços e trilhar alguns caminhos porque a sociedade me dizia que aquele espaço não era próprio para quem é homossexual”, relatou Friday.

Friday, que tem 25 anos, tem licenciatura em Química e mestrado em Ensino de Química. Em sua dissertação, trabalhou o tema “Relações de Gênero na Ciência”, que despertou uma inquietação pela abordagem na escola. Drag queen há quase dois anos, ele viu na atividade uma forma de mostrar aos alunos que não existem limites para realizar um sonho.

“Não quero que meus alunos se sintam como eu me senti há muitos anos. Não achei que pudesse ocupar espaços ou ter um emprego ‘normal’ pelo fato de ser gay. Muitos LGBTs passam por isso na adolescência, desistem da escola, da faculdade, por não se sentirem amparados”, pontuou.

Friday Manson ensina química há 7 anos e tem mestrado em Relações de Gênero na Ciência (Foto: Friday Manson/Arquivo Pessoal)Friday Manson ensina química há 7 anos e tem mestrado em Relações de Gênero na Ciência (Foto: Friday Manson/Arquivo Pessoal)

Friday Manson ensina química há 7 anos e tem mestrado em Relações de Gênero na Ciência (Foto: Friday Manson/Arquivo Pessoal)

“Muitos dos meus alunos – não apenas os LGBTs, mas também os negros, os que têm uma condição social não tão favorecida, as mulheres – certamente se sentem incapazes de conquistar e ocupar espaços por causa desse meio que limita e oprime. Essa ação se mostra afirmativa para que ninguém se sinta impotente de seguir seus sonhos”, disse.

Professor quer mostrar que todos devem seguir seus sonhos, independente de orientação sexual (Foto: Friday Manson/Arquivo Pessoal)Professor quer mostrar que todos devem seguir seus sonhos, independente de orientação sexual (Foto: Friday Manson/Arquivo Pessoal)

Professor quer mostrar que todos devem seguir seus sonhos, independente de orientação sexual (Foto: Friday Manson/Arquivo Pessoal)

Reação dos alunos

Essa foi a primeira vez que o professor deu aula montado, mas já era de conhecimento dos alunos que ele é drag queen. Inclusive, Friday já esteve em outras escolas, para eventos, vestido como drag. Durante as exposições do dia, a química foi um pouco deixada de lado e o professor discutiu o que o dia 17 de maio representa com os estudantes. Para o professor, a reação dos alunos foi muito positiva.

Friday também relatou que muitos alunos ficaram emocionados, mesmo sem serem da comunidade LGBT. Outros estudantes foram até ele para agradecer. “Um aluno disse que a perspectiva dele mudou muito, enquanto LGBT. Disse que eu sou um referencial positivo. Eu até chorei, porque a intenção é essa. Representatividade importa”, reforçou.

Fonte: G1


Compartilhe esta notícia com os seus amigos


Comentários

Comentários